Flashback: a morte de Marissa Cooper em The O.C.

Flashback: a morte de Marissa Cooper em The O.C. 2

Orange County é uma cidade localizada na Califórnia que abriga mansões, famílias milionárias, dramas e muitos segredos. Esse foi o cenário da série The O.C. (2003-2007), que relatou, durante quatro temporadas, a história dos adolescentes Ryan Atwood (Benjamin McKenzie), Marissa Cooper (Mischa Barton), Seth Cohen (Adam Brody) e Summer Roberts (Rachel Bilson).

Ryan era um adolescente pobre e problemático que foi adotado pela rica família Cohen. O jovem passou a conviver com a nova realidade e com a vizinha, Marissa. A garota, que vivia um conto de fadas de luxo e fantasia, viu seu mundo desaparecer após o envolvimento de seu pai em um escândalo financeiro.

Dez trilhas sonoras marcantes de séries de TV 

Durante três temporadas, Marissa desempenhou o papel da anti-heroína. Como não conseguia enfrentar os problemas familiares, a garota envolveu-se com drogas, álcool e chegou a ter uma overdose em Tijuana, no México. Ryan sempre esteve ao seu lado e chegou à salvá-la em diversas situações.

No meio da segunda temporada de The O.C., a atriz Mischa Barton passou a ter grandes desentendimentos com a produção do seriado. O criador, Josh Schwartz decidiu pela morte da protagonista, com objetivo de mudar o rumo da trama na quarta temporada. Os fãs ficaram extremamente desapontados com o desfecho e a queda da audiência fez com que a série terminasse em 2007.

Acompanhe abaixo o vídeo da morte de Marissa. A cena, que é embalada pela música Hallelujah, é considerada a mais emocionante do seriado.
 
 

A equipe do Pop Séries! reúne as principais notícias e novidades das séries de TV.

  1. thiago

    21 de março de 2013 em 18:37

    Uma das minhas séries preferidas, mas odiava esse personagem da Marissa, porém a morte dela acabou com a série mesmo.

  2. Carolina

    30 de agosto de 2013 em 19:27

    Realmente a morte da Marissa acabou com todos 🙁 acho que a série ficou sem graça a partir da 3 temporada !!

  3. Camila

    9 de novembro de 2016 em 23:13

    Eu odiava a Marissa e agora, revendo a série na netflix, continuo não suportando. Uma pena que a série não tenha dado conta de continuar sem uma personagem tão horrível.

    • Carter

      21 de novembro de 2016 em 10:35

      Verdade camila!

      • Chay

        18 de março de 2017 em 16:34

        Eu tbm odiava a Marissa, tirando pan primeiros episódios em que o Ryan ficou naquela baboseira de clube da luta achei a última temporada uma das melhores. Eles deveriam ter explorado mais a Katlyn e a Taylor. Foram as melhores com ctza! Afff e a Summer rip tbm não dava pra aturar.

  4. João Gabriel Souza

    13 de setembro de 2017 em 0:01

    A terceira temporada foi bem difícil de aguentar ela, com tantos problemas e “amigos” errados, mas era de entender por conta de ela ser problemática. O Ryan merecia ser muito feliz, pois fez tudo por ela e por todos. O final deveria ter sido, ele na praia lendo a carta dela, antes de ele ir pra faculdade, ele se entristece, então alguém coloca a mão no ombro dele, ele vira e era a Marissa, ela sorri e fala aquele “Oi”, ele fica surpreso e diz “o que você está fazendo aqui?” Ela responde “Eu resolvi voltar, porque eu só seria feliz ao seu lado, eu te amo e resolvi ir para a faculdade com você….ele olha para os olhos dela, final de tarde, por do sol….se beijam e a série acaba. Engraçado, 10 anos após o fim da série e ainda existe a sensação de querer mudar o que aconteceu. Na minha opinião, a culpa foi do autor. Ele mesmo disse em uma entrevista que se arrependeu no dia seguinte que o episódio foi ao ar, pois viu oo quanto foi negativo a morte dela.. Ela se envolveu tanto na personagem e pra ela foi como se a saída dela fosse melhorar a série, e foi o contrário. Um personagem forte, com problemas de todo tipo, o autor foi muito fundo e isso afetou a própria Mischa. Se ele tivesse tido mais sabedoria, teria feito o personagem dela ser feliz, a série teria continuado e consequentemente a carreira dela e sua vida pessoal não teria se tornado o que se tornou. De todas as série que assisti…”Dexter” e “The O.C” foram as melhores, Dexter teve um ótimo final, foi uma série incrível…Mas, “The O.C” foi além, porque mexeu de uma forma tão incrível, acredito que não só comigo, mas com todos que assistiram. Acho que o autor não imaginava o quão impactante a história seria na vida de muita gente. Na maioria das séries tem ação, muita ficção…Mas “The O.C” era um drama que acontece todos dias na vida de muita gente e por falta de sabedoria e ele acabou com essa série tão incrível. Poderia ter acabado na terceira, quarta, quinta..seja em qual temporada fosse, Mas teria que terminar da maneira maravilhosa na qual começou.

    • Josué Lima Martins

      14 de janeiro de 2018 em 17:54

      Final muito interessante o seu João, todos foram capazes de notar que Marissa e Ryan eram feitos um para o outro, afinal no começo da história Ryan era só o menino pobre adotado que veio de uma família problemática e no desenvolvimento vimos Marissa se tornando tudo isso, mas sempre tendo Ryan ao lado dela. O amor deles era verdadeiro, mas tinham um defeito crucial. Eram orgulhosos demais para admitir que não podiam viver um sem o outro. A morte de Marissa matou a essência da série, ela e Ryan formavam o casal Romeu e Julieta da série, com um relacionamento regado a encontros e desencontros. A personagem me fez sentir dó pelas angústias que passava, satisfação ao ver o tamanho da bondade e a lealdade que ela tinha no coração para ajudar a todos a sua volta. Mas também me fez sentir raiva nas cenas que ela fazia escolhas erradamente ridículas, como se tornar viciada em drogas, álcool, ir para a cama e se apaixonar por pessoas de baixo nível moral e principalmente por desprezar as palavras de Ryan por diversas vezes, em momentos em que ele só queria evitar que ela se machucasse. No fim a personagem meio que merecia um castigo, mas não a morte, penso mais numa “redenção”, pois sem dúvida o amor entre ela e Ryan era verdadeiro, e não há uma só pessoa que tenha assistido a série que não desejou por um minuto ver os dois juntos se casando no final, quem sabe até mesmo os quatro em um casamento duplo. Seria o conto de fadas perfeito, fazendo justiça ao nome da série no Brasil.

  5. Felipe vieira

    17 de dezembro de 2017 em 1:23

    Pode se dizer que foi e é minha serie favorita, não me lembro de ter ficado tão emocionado e ter chorado tanto em uma série ou filme como no The OC, acho uma sacanagem e uma falta de respeito com os fãs e expectadores tira a personagem principal com todo o desfecho mais chamativo voltado pra ela, fora que quando você se apega na série você passa a se apaixonar pelo personagem e viver a vida com ele ao assistir e acompanhar os episódios, tendo os expectadores que amam ou não a principal sempre vai ser a principal, no meu caso Marissa era minha preferida e que mais me fez me emocionar com sua vida. Acabou no que os diretores plantatam colheram, sem Marissa Cooper não tinha como ir pra frente, considero ridículo a atitude de a terem tirado.

    • Josué Lima Martins

      14 de janeiro de 2018 em 18:03

      Marissa não era a personagem principal e sim Ryan, seguido de Marissa, Seth e Summer. A história se baseia em volta da vida de um garoto que tinha tudo para passar a vida inteira atrás das grades graças à uma mãe alcoólatra e um pai e um irmão criminosos, mas que “atirou na lua” ao ser adotado por um bom samaritano. Os dois (Ryan e Marissa) deveriam ficar juntos até o fim da série, pois o amor deles era verdadeiro, tanto que eles não se importavam quando o outro estava com outro alguém desde que estivesse feliz (pois quem ama liberta). Eles queriam mudar a cara do seriado, mas matar a Marissa ou o Ryan é o mesmo que matar o seriado, isso estava óbvio. Até Summer e Seth faziam parte da essência da série.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *