The OA: série cria envolvente drama sobrenatural

the oa netlix

 

Com apenas oito capítulos, o novo drama da Netflix conseguiu conquistar uma legião de seguidores.

Diferente de outros sucessos da plataforma on-line, The OA não possui um elenco conhecido e nem um orçamento generoso. É uma série cult, com um roteiro inteligente e desafiador, como pouco se vê na televisão mundial hoje.

Assista ao trailer de The OA

Na história, Prairie (Brit Marling) retorna ao lar após setes anos de seu desaparecimento. O detalhe é que a jovem, que era a cega, volta a enxergar sem nenhuma explicação plausível. Por trás da sua cura milagrosa, no entanto, esconde-se uma trama complexa em que nem tudo parece ser real.

Aos poucos o público conhece a versão da protagonista sobre o seus dias torturantes em cativeiro, a relação com os colegas de cela, o sentimento perturbador com o homem que a mantinha refém e a sua habilidade de se comunicar com um mundo além da vida. E, mesmo que os acontecimentos desafiem a realidade, o telespectador é levado a acreditar nos fatos narrados por Prairie até que, nos últimos episódios da narrativa, depara-se com algumas questões: será que a jovem experimenta um tipo de estresse pós-traumático? Ou seus dons sobrenaturais são realmente verdadeiros?

Conheça mais lançamentos da Netflix

No elenco, Jason Isaacs interpreta o doutor Hunter Hap, o homem responsável pelos sequestros e que tem como objetivo concluir a qualquer preço a sua tese sobre o pós-morte.

No final desta temporada, Prairie e seus novos aliados conseguem realizar o ritual que a levaria para um outra dimensão, onde encontraria seus amigos ainda aprisionados por Hap e seu grande amor, Homer (Emory Cohen). Se a personagem conseguiu quebrar a ligação entres as realidades, isso ainda permanece um mistério. O fato é que o trunfo de The OA é a sua capacidade de brincar com as percepções de audiência e de levá-la a questionar as suas próprias crenças. Seria a morte o fim da nossa existência? Ou a nossa alma é imortal?

Assista à entrevista com Neil Patrick Harris

 

Julia Benvenuto

Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e pós-graduada em Jornalismo Cultural pela FAAP. É autora da tese “A Revolução dos Losers: como o seriado americano Glee representa a juventude do século 21”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Newsletter do Pop Séries!Inscreva-se
+ +