Cinquenta Tons Mais Escuros: muito romance e poucas cenas picantes

Para a felicidade de quase todas as mulheres do planeta, Christian Grey está de volta! O segundo filme da franquia Cinquenta Tons de Cinza estreia hoje (8) à meia-noite em circuito nacional.

Assista ao trailer de 50 Tons Mais Escuros

Em Cinquenta Tons Mais Escuros, Grey (Jamie Dornan) fará de tudo para conseguir Anastasia de volta. Porém, a jovem colocará algumas condições: não haverá mais punições, regras ou segredos.

Enquanto os protagonistas tentam viver este grande amor, eles serão ameaçados pelo passado de Grey e pelo novo chefe de Anastacia (Dakota Johnson).

Como já era de se esperar, o segundo filme da saga – assim como o livro – tem como foco aprofundar o relacionamento do casal. Grey abre mão de suas preferências sexuais por estar perdidamente apaixonado por Ana. A jovem, por sua vez, tenta romper a barreira emocional do namorado por conta de sua difícil infância.

Todos os principais acontecimentos da obra literária estão no longa-metragem e a narrativa tem tons dramáticos: há tentativa de assédio sexual, ameaça de ex-submissas e um acidente de helicóptero. Momentos marcantes, como o baile de máscara, ganham pouco destaque e não há o esperado jogo de sinuca entre o casal.

The Fall: Jamie Dornan confessa que perseguiu jovem no trem

Para as espectadoras que procuram romance, Cinquenta Tons Mais Escuros atende as expectativas. Grey faz diversas declarações de amor e coloca toda a sua possessão em jogo. Entretanto, as cenas de sexo deixam muito a desejar. Pelo fato do livro ser tão popular pelas descrições eróticas é de se esperar que o filme tenha uma certa ousadia. Infelizmente, há imagens sensuais mornas e na maioria delas Grey encontra-se parcialmente vestido. Além disso, algumas situações despertaram o riso do público, mesmo que o roteiro não tenha tons de comédia.

Dica: espere até o final dos créditos. Há imagens inéditas de Cinquenta Tons de Liberdade, o final da saga que estreia em 2018.

Veja mais uma prévia do longa-metragem:

 

 

Amanda Negrini
Jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e pós-graduada em Jornalismo Cultural pela FAAP. Especialista em cultura pop, é autora da tese "A Evolução das cantoras Pop Americanas: a criação de Madonna e a inovação de Lady Gaga".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
Newsletter do Pop Séries!Inscreva-se
+ +