Orphan Black encerra sua saga com brilhantismo

orphan black 5 temporada

 

Poucas séries na televisão americana tem o mesmo privilégio de Orphan Black. Desde o início, o co-criador, John Fawcett, declarou que o programa teria ao todo cinco temporadas para que a história fosse condizente. Ao invés de ser prolongada de acordo com os números da audiência, o seriado foi fiel à sua narrativa e entregou uma trama emocionante e dramática.

Acompanhe mais notícias da quinta temporada de Orphan Black 

A quinta temporada, disponibilizada no Brasil pela Netflix, concentrou-se no arco da ficção científica e apresentou todas as razões pelas quais o projeto de clonagem foi implantado. Além disso, desvendou os segredos por trás do envolvimento emocional de Kira com as demais irmãs de Sarah. Inclusive, foi interessante observar a inusitada aproximação da garota com Rachel.

Por sorte, os fãs da série não amargaram a morte de nenhuma das personagens principais. Havia rumores de que Helena não sobreviveria ao season finale, mas o criador da série optou por eliminar Mrs. S, que sacrificou-se pelo bem dos seus filhos.

Sarah tenta salvar Kira em Orphan Black

orphan black 5 temporada

Tatiana Maslany abusa de sua versatilidade

Para a Helena, foi reservado um desfecho mais do que especial, afinal de contas ela foi a que mais sofreu ao longo de sua infância. Ao lado de seus gêmeos, Donnie e Arthur – ou melhor, Orange e Purple –, a personagem conseguiu uma vida pacífica e estabeleceu laços profundos com suas irmãs. Talvez, a única cena que faltou em Orphan Black foi um encontro entre a “Sestra” e Krystal. Alguém consegue imaginar qual seria o resultado dessa conversa? No mínimo, Helena ganharia um tratamento de beleza completo!

Veja promo do final de Orphan Black

Mais uma vez, a atuação de Tatiana Maslany foi impecável e pode-se afirmar – com absoluta certeza – que o sucesso da atração por ser atribuído ao seu imenso talento. Ao longo de cinco anos, a atriz dedicou-se ao trabalho de interpretar mulheres fortes, com personalidades diferentes, que possuíam em comum a nobreza e o amor pelo próximo. Até mesmo Rachel – de um jeito bem peculiar – foi capaz de mostrar certa humanidade no final da trama.

Com este resultado extremamente satisfatório, o que resta ao público é a árdua tarefa de se despedir do Clube do Clone e torcer para que Tatiana tenha excelentes oportunidades de nos presentear com novas personagens carismáticas.

Amanda Negrini
Jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e pós-graduada em Jornalismo Cultural pela FAAP. Especialista em cultura pop, é autora da tese "A Evolução das cantoras Pop Americanas: a criação de Madonna e a inovação de Lady Gaga".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Newsletter do Pop Séries!Inscreva-se
+ +