Chris Pratt fala de Vingadores: “É complicado fazer um filme desta magnitude”

Com uma boa dose de carisma e arriscando algumas palavras em português, Chris Pratt fez a alegria dos fãs em São Paulo na última quarta-feira (4). O ator está no Brasil para promover a estreia de Vingadores: Guerra Infinita, marcada para 26 de abril nos cinemas.

“Os fãs já sabem muito destes personagens. Dez anos de filmes preparam este evento sem precedentes no mundo Marvel”, comentou. No último filme da franquia, que será dividido em duas partes, o vilão Thanos tem como missão encontrar as jóias do infinito e destruir a Terra. A ameaça fará com que os heróis se unam em prol da humanidade. E será um verdadeiro encontro entre universos distintos: Thor, Guardiões da Galáxias, Homem de Ferro, Doutor Estranho, Hulk, Capitão América, Homem-Aranha, Pantera Negra, entre outos.

Mais notícias dos filmes da Marvel

Sobre o clima no set de filmagens, Pratt disse que os novos integrantes se sentiram à vontade entre os veteranos. “Tivemos uma dia que fizemos uma foto com todos os atores e produção, com várias gerações. Parece um pesadelo organizar isso, não sei como conseguiram”, brincou. “Eu acabei conhecendo o elenco todo de Pantera Negra antes da estreia do filme e foi muito legal.”

chris pratt no brasil
previous arrow
next arrow
Vingadores Tour - Chris Pratt disse que foi um desafio colocar todos os heróis em um mesmo filme. Fotos: © Divulgação
ArrowArrow
Slider

 

Outro tema do encontro foi o recente investimento da Marvel em histórias com protagonistas femininos, entre elas, a Viúva Negra e Capitã Marvel (longa chega aos cinemas somente em 2019. “A maior parte dos criadores e leitores eram homens”, analisou Pratt. Acho que estamos vendo uma grande mudança nos últimos anos. É um desejo que as mulheres participem e escrevam essas histórias.”

 

Vingadores: Guerra Infinita

Julia Benvenuto
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e pós-graduada em Jornalismo Cultural pela FAAP. É autora da tese "A Revolução dos Losers: como o seriado americano Glee representa a juventude do século 21".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *