Sharp Objects: minissérie apresenta assassino surpreendente em final inusitado

sharp objects minissérie
 

Quando a HBO anunciou a produção de Sharp Objects, muitos acreditaram que a minissérie seria a nova “Big Little Lies” do canal. Mais uma vez, a emissora apostou na adaptação de uma obra literária feminina de sucesso e escalou um elenco composto por atrizes de renome em Hollywood. Entretanto, a atração surpreendeu os seus espectadores ao apresentar uma trama obscura e densa. Além de tirar a protagonista – Amy Adams – de sua zona de conforto.

Assista ao trailer de Sharp Objects

Baseada no livro homônimo da escritora Gillian Flynn, a trama acompanha a vida de uma jornalista chamada Camille Preaker. Nascida na pequena cidade de Wind Gap, ela teve uma infância complicada por conta dos jogos emocionais de sua mãe, Adora (Patricia Clarkson).

Quando duas garotas são brutalmente assassinadas no local, a personagem é obrigada a cobrir o caso e a conviver com a sua disfuncional família. Nesse contexto, um novo sentimento de proteção aflora na protagonista ao se aproximar de sua irmã mais nova, Amma.

sharp objects 1 temporada

A partir da esq., Adora (Patricia Clarkson) e Camille (Amy Adams)

Mais do que isso, Camille desencadeou um grave distúrbio psicológico e adquiriu o hábito de se automutilar. As palavras escritas por todo seu corpo a ajudavam a aliviar as dores das situações sofridas ao longo de sua juventude. Ao voltar para casa, ela precisa ser forte o suficiente para não cair na tentação de se cortar novamente.

A adaptação televisiva foi brilhante ao detalhar todas as nuances do comportamento de suas personagens. Os demônios internos de Camille, a vitimização de Adora e a maldade no olhar de Amma estiveram presentes ao longo de todos os episódios. O público também foi agraciado por cenas deslumbrantes, como a que John Keene lê o corpo de Camille, quase que  desvendando sua alma inquieta.

Acompanhe mais notícias de Sharp Objects

A grande atratividade de Sharp Objects é que a história não é somente pautada em uma grande investigação. O espectador vai descobrindo camadas muito mais profundas. A mente doentia de Adora é parcialmente revelada, em quantias muito bem dosadas. O que aparentemente parece ser um forte desentendimento entre mãe e filha, na verdade revela-se um espetáculo psicótico. O comportamento rebelde de Camille durante sua infância a salvou da morte. Pena que sua irmã Marien não teve a mesma sorte.

Os produtores decidiram terminar o programa de uma forma pouco convencional para à TV. Para quem não leu o livro, o desfecho pode ter ficado confuso. A minissérie acaba com Camille descobrindo que a verdadeira assassina de Wind Gap é Amma e não Adora.

Sharp Objects: suspense da HBO traz caçada envolvente à assassino

Na obra literária, há mais detalhes e explicações sobre a sordidez da garota. Ela arrancava os dentes de suas vítimas para construir um chão de marfim, assim como o do quarto real de sua mãe. Há também uma passagem em que Camille visita Amma no hospital psiquiátrico. E, pela primeira vez, o leitor percebe que a ela está liberta de suas tragédias familiares. No entanto, as imagens pós-créditos deram um ar mais violento à narrativa e um final feliz para Camille acabaria distanciando a trama do tom melancólico em que a série foi pautada.

Amanda Negrini
Jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e pós-graduada em Jornalismo Cultural pela FAAP. Especialista em cultura pop, é autora da tese "A Evolução das cantoras Pop Americanas: a criação de Madonna e a inovação de Lady Gaga".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *