Millennium: A Garota na Teia de Aranha apresenta nova saga e heroína

 

Quem assistiu ao filme Millennium: Os Homens que não Amavam as Mulheres, de 2011, não vai encontrar muitas semelhanças com a continuação da saga, agora protagonizada por Claire Foy.

A Garata na Teia de Aranha é baseada no quarto romance da saga, escrito pelo jornalista David Lagercrantz. O autor original da história, o sueco Stieg Larsson, morreu em 2004 vítima de uma ataque cardíaco. Os personagens continuam os mesmos: Lisbeth Salander (papel de Foy) e Mikael Blomkvist.

Dito isso, o filme é visivelmente uma continuação “independente” da franquia e, por isso, não mantém o mesmo ritmo de sua percursora. Na história, Lisabeth é uma investigadora particular reclusa e com problemas familiares que aceita uma missão perigosa: roubar um programa militar de uma agência do governo.

Conheça outros lançamentos do cinema em 2018

A partir daí, uma trama de perseguição e conspiração tem início e a protagonista é obrigada a pedir a ajuda do jornalista local, Mikael, para inocentar o seu nome e capturar os verdadeiros criminosos. Foy mantém a excelente atuação, que já lhe rendeu um Globo de Ouro por The Crown.

A direção do uruguaio Fede Alvarez (Um Drink no Inferno) também é competente e consegue captar a atenção do telespectador com facilidade, mesmo em cenas que não abusam de efeitos especiais e perseguições. O longa, no entanto, peca no roteiro. Ao caminhar da narrativa, a falta de profundidade nos diálogos e na relação entre os personagens incomoda. Lisbeth, que teve uma infância cruel, não consegue se relacionar com o menino que salvou e também viveu um momento traumático. O único momento de cumplicidade entre os dois é quando compartilham um jogo de xadrez.

Mesmo que a personagem tenha uma distância emocional proposital com quem se relaciona, por conta de seu passado, o clímax parece nunca chegar. Há um grande confronto ao final do filme, mas ele está – muito longe – de emocionar. Tal cumplicidade Rooney Mara e Daniel Craig conseguiram desenvolver com competência no primeiro longa-metragem, mas não parece estar presente na continuação.

The Crown escala Tobias Menzies como Príncipe Philip

Millennium: A Garata na Teia de Aranha estreia nesta quinta feira, 8 de novembro, nos cinemas brasileiros.

 

Millennium: A Garata na Teia de Aranha

Julia Benvenuto
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e pós-graduada em Jornalismo Cultural pela FAAP. É autora da tese "A Revolução dos Losers: como o seriado americano Glee representa a juventude do século 21".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *