Doctor Who: episódio de Natal não terá participação de antigos protagonistas

doctor who 11 temporada
 

Assumir o papel de protagonista de uma das séries mais aclamadas da TV inglesa não foi uma tarefa fácil para Jodie Whittaker.

Juntamente com o showrunner Chris Chibnall e produtor executivo Matt Stevens, a ideia da nova geração no comando de Doctor Who é trazer o show para um visual mais amigável ao século 21. Sem deixar de lado, é claro, a abordagem original da história que sobrevive desde a década de 1960.

Durante a NY Comic-Con, o Pop Séries! conversou com a 13ª Doutora, que falou sobre os desafios enfrentados em sua interpretação do papel icônico e qual seria o seu encontro favorito em um episódio especial da série.

Confira:

Guia da 11ª temporada de Doctor Who

POP SÉRIES! – Um dos diferenciais de Doctor Who é a variedade de atores interpretando o mesmo personagem ao longo dos anos. Você buscou inspiração em seus antecessores para o papel?

JODIE WHITTAKER – Não. Eu nunca havia visto uma temporada completa de Doctor Who ou acompanhado a sua jornada. E quando eu consegui o papel a minha primeira reação foi: “Eu preciso assistir à série”. Eu conversei falei com o Chris sobre isso… Mas se tem alguma especial em Doctor Who é tudo o que está escrito: há páginas na internet, o folclore e a mitologia está tudo lá, e tudo o que precisava estava lá, sem precisar duvidar. É minha abordagem sobre o papel, você pode amá-la ou odiá-la.

* Com qual Doutor você gostaria de trabalhar em um episódio especial?

JW – Doc Brown. Seria uma mashup incrível. É difícil o show é tão particular para cada um… Gostei muita da ideia de David Bradley como William Hartnell e isso foi tão tocante para mim, o uso do tempo e espaço em um ator. E esta mistura é muito interessante. Mas este ano, infelizmente para os fãs, não teremos a participação de antigos doutores na série.

Episódio especial de Doctor Who será transmitido em 1º de janeiro

* Qual foi o maior desafio que você enfrentou durante as gravações desta temporada?

JW – Acho que a habilidade das pessoas encontrarem informações on-line e nós lidarmos com os spoilers. Trabalhamos tão duro para dar a sensação de surpresa. As pessoas estavam construindo sets e monstros e tentávamos manter tudo em segredo. Porque é uma aventura incrível se você não sabe o final. E a tecnologia alcança o mundo rapidamente e por isso é muito difícil.

Confira o trailer da 11ª temporada de Doctor Who

* Quando assumiu o papel de showrunner de Doctor Who qual era o seu maior desejo?

CHRIS CHIBNALL – Eu queria criar uma série que refletisse a minha paixão pelo show, desde que tinha 3 anos de idade. E obviamente algo que todo mundo pudesse ter acesso, que fosse inclusivo, e como temos uma nova Doutora, queríamos contar histórias que refletissem o mundo que vivemos hoje. E que fosse incrivelmente emocional e que fosse algo que todos que já trabalharam no show se sentissem representados. Queríamos que o show fosse algo contemporâneo, que estivesse alinhado com a audiência que assiste hoje à Westworld ou Stranger Things, por exemplo.

* Qual é a maior mudança na série para vocês?

MATT STEVENS – Acho que temos novos cenários… Não sei se as pessoas vão reparar, mas as cenas se parecem com a de um filme. Nunca falamos sobre diferenças com as versões anteriores, mas sim em como podemos mostrar esta paixão e amor nesta abordagem holística, que os fãs irão se apaixonar.

* Doctor Who é muito famoso entre os fãs brasileiros. Como é trabalhar em uma série que tem todo este carinho da audiência?

MS – É um privilégio e um grande responsabilidade de um jeito maravilhoso. Você quer dar a melhor versão que pode, como uma grande pintura e que está em seu melhor, toda restaurada. Especialmente para o Chris é uma carta de amor para os fãs. Nós amamos este show por anos e queremos atrair mais pessoas.

A 11ª temporada de Doctor Who é transmitida pelo Crackle. 

Julia Benvenuto
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e pós-graduada em Jornalismo Cultural pela FAAP. É autora da tese "A Revolução dos Losers: como o seriado americano Glee representa a juventude do século 21".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *