Skip to main content

Filme é protagonizado por Chris Pine, Hugh Grant e Regé-Jean Page

Muito provavelmente você já foi apresentado ao nome Dungeons & Dragons. Afinal, o famoso jogo de RPG já esteve inserido nas tramas de séries populares, como The Big Bang Theory e Stranger Things.

Na modalidade, os jogadores assumem o papel de personagens fictícios em um mundo imaginário. Eles interagem com esse mundo através de um narrador ou mestre de jogo, que cria e controla o ambiente e os personagens não-jogadores.

Os jogadores avançam em suas aventuras, lutando contra monstros, resolvendo enigmas e interagindo com outros personagens em busca de tesouros e experiência. Eles também podem desenvolver habilidades, adquirir equipamentos e personalizar seus poderes à medida que avançam.

Sinopse do filme

Dungeons & Dragons: Honra Entre Rebeldes propõe adaptar, pelo humor, o famoso jogo para as telas do cinema. E a experiência vai agradar a maior parte do público, mas acredito que os fãs do RPG, inevitavelmente, irão se decepcionar.

Na trama, ladrão encantador (Chris Pine) e um bando aventureiros desajustados armam um plano épico para recuperar uma relíquia perdida. No entanto, a missão dá errado rapidamente, deixando os protagonistas em perigo.

Edgin é um harpista que perdeu a mulher após roubar ouro dos magos vermelhos. Depois disso, ele abandonou a vida de espião e passou a criar a filha recém-nascida com a ajuda da guerreira Holga (Michelle Rodriguez).

  Chico Bento e a Goiabeira Maraviósa: quando estreia o live-action

Anos mais tarde, a dupla formou um esquadrão de ladrões – com o feiticeiro Simon (Justice Smith) e o vigarista Forge (Hugh Grant). Só que eles são contratados por uma maga, Sofina (Daisy Head), para uma missão especial, que acaba em fracasso.

Edgin e Holga são presos e ficam afastados da criação de Kira até que conseguem escapar do presídio em que estão. Eles descobrem, então, que foram vítimas de um plano de Forge, que agora é um dos nomes mais poderosos do reino.

Para recuperar a filha, e um artefato poderoso, Edgin reúne para a missão Simon, que ainda não desenvolveu por completo as suas habilidades, e a druida Doric (Sophia Lillis), que consegue se transformar em animais da natureza.

No meio da aventura, eles encontrar Xenk Yendar (Regé-Jean Page), um paladino com poderes especiais e que compreende e defende o grupo.

O filme aposta muito no humor para manter o público conectado à saga dos personagens. Em um determinado momento da trama, também somos surpreendidos com uma referência aos personagens do famoso desenho Caverna do Dragão.

Assim, Dungeons & Dragons: Honra Entre Rebeldes acaba se limitando a fórmula do entretenimento para conquistar a bilheteria, da mesma forma que os filmes de super-heróis lotam as salas de cinema há anos. Não conseguiram propor algo muito fora da caixa, então ajuste as suas expectativas.

  'Guerra Civil' mostra realidade dos correspondentes de guerra em um mundo polarizado

Durante a exibição, o pensamento de que a narrativa poderia seguir para outra abordagem foi recorrente. Hugh Grant é um vilão pastelão, difícil de sentir simpatia. Sofina pode ser uma maga poderosa, capaz de destruir toda a humanidade, mas em nenhum momento o público irá sentir-se ameaçado. Difícil não compará-la com Vecna, uma criação surpreendente de Stranger Things que dá pesadelos até para os mais corajosos.

Ao final, o longa garante diversão, mas não o encantamento. Ficou aquela sensação de que faltou algo, talvez ser surpreendido por algo além do que Hollywood está acostumado a criar.

Trailer de Dungeons & Dragons: Honra Entre Rebeldes

 

O filme estreia em 13 de abril nos cinemas.