Skip to main content

The Client List e Hung mostraram como sobreviver à crise econômica

Séries sobre sexo são raras oportunidades de discutir a sociedade atual. Longe de tramas superficiais, as nossas dicas abordam temas muito mais complexos: como a família, a liberdade de gênero, a descoberta da adolescência e até os avanços na medicina.

Abandonada pelo marido, pouco fluxo de trabalho, risco de não conseguir pagar a hipoteca da casa e nenhum dólar na carteira. Essa é a realidade da ex-miss, Riley Parks (Jennifer Love Hewitt), que aceita trabalhar em uma aparente casa de massagens, mas, na verdade, presta serviços sexuais aos habitantes da cidade.

The Client List é baseado na história real de uma família americana da cidade de Odessa, no Texas. Primeiramente, foi transformada em filme para televisão, pela Sony Pictures, também com Jennifer Love Hewitt interpretando a protagonista. A atração obteve enorme sucesso de audiência e rendeu uma indicação de melhor atriz no Globo de Ouro de 2011.

Continua após a publicidade..

Há algumas diferenças entre o filme e o seriado. No longa metragem, o marido da protagonista não abandona a família e Riley não precisa conviver com o amor platônico do cunhado. Além disso, o seriado explora mais as histórias entre a massagista e seus clientes. Mesmo os telespectadores sabendo o final o história, há um grande interesse na vida sexual e nos conselhos amoroso de Riley. A escolha para a localização da série foi preponderante para o sucesso. O estado do Texas é considerado um dos mais conservadores do Estados Unidos, abrigando muitas cidades pequenas e moradores extremamente religiosos.

Não é a primeira vez que uma série de televisão mostra personagens encontrando a solução para o sustento da família através do sexo. Desde a crise financeira mundial, ocorrida em 2008, a televisão investiu em formatos dramáticos ou cômicos para retratar a vida da população que sofre com as dívidas. O seriado Hung (2009- 2011), misturou esses dois elementos ao contar a historia do treinador de basquete, Ray (Thomas Jane) Drecker. Com o divórcio, incêndio em sua residência e o baixo salário por conta da crise, o protagonista resolveu tornar-se gigolô para driblar as dificuldades e retomar a guarda dos filhos.

Não por coincidência, a série foi ambientada em Detroit, no estado de Michigan. Conhecido por abrigar as maiores indústrias automobilísticas mundiais, o local foi um dos primeiros a desmoronar com a crise. Dados do último senso populacional americano, realizado em 2010, apontaram uma redução de 25% no número de moradores. Por conta do desemprego, casas foram abandonadas e a taxa de criminalidade triplicou nos últimos anos.

Em Hung, com muito cinismo e ironia, Ray confessa ser feliz pela morte de seus pais. Patriotas e orgulhosos, eles ficariam decepcionados com a destruição do sonho americano. No auge da abundância financeira não havia impostos caros, associações de bairros ou ex-mulheres gananciosas. Para justificar a mudança de profissão, o gigolô também apegou-se aos ensinamentos familiares. “Fazer o melhor com o dom que Deus lhe deu”. Claro que o sucesso foi imediato e redefiniu as séries sobre sexo. Afinal de contas, mesmo com orçamento apertado, o ser humano ainda precisa de carinho, atenção e prazer.

The Carrie Diaries marca o retorno de Sex and The City 3

Com dificuldades financeiras, o professor Ray Drecker (Thomas Jane) resolve trabalhar como gigolô para aumentar a renda familiar

Séries sobre sexo para sua maratona

Nos últimos anos, o cenário televisivo tem sido palco para a exploração cada vez mais profunda da temática da sexualidade. Desde dramas eróticos até comédias românticas, as séries atuais mergulham nas complexidades da sexualidade humana, desafiando tabus e preconceitos sociais.

Sex Education

A produção da Netflix é uma das séries mais populares que abordam o tema. A trama gira em torno de um adolescente que inaugura uma clínica de terapia sexual em sua escola, tratando de questões como puberdade, consentimento e orientação sexual. A abordagem educativa e bem-humorada da série a tornou um sucesso tanto entre a crítica especializada quanto o público em geral.

Girls

Durante seis temporadas, Girls explorou diversos aspectos da vida adulta, incluindo amor, amizade, carreira e sexualidade. Os personagens enfrentam dilemas que refletem as complexidades da jornada para a autodescoberta e a busca por identidade.

Transparent

Com quatro temporadas, “Transparent” mergulha em temas como identidade de gênero, sexualidade, religião e relacionamentos familiares. A série foi elogiada pela sua representação cuidadosa da comunidade transgênero.

Easy

Em cada episódio, Easy apresenta uma nova história, explorando temas como relacionamentos, identidade e família na era moderna. A diversidade de personagens e suas experiências tornam a série cativante e reflexiva.

The L Word

The L Word foca em temas como amor, identidade e preconceito, com uma representação autêntica das experiências lésbicas e bissexuais. A série foi elogiada por sua abordagem humanizadora e inclusiva.

Masters of Sex

Explorando a história da sexualidade humana, Masters of Sex mergulha em temas como gênero, relacionamentos e ciência, oferecendo uma visão fascinante sobre a evolução dos estudos sexuais.

Sex/Life

Baseada no romance 44 Chapters About 4 Men de B.B. Easton, a série é ambientada em Nova York e aborda temas como amor, maternidade e infidelidade, oferecendo uma visão intrigante da complexidade das relações humanas.

Organize sua maratona com o nosso Planner!

Inscreva-se
Notificação de
guest

1 Comentário
Novos
Antigos Mais votados
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Mafer
Mafer
9 anos atrás

Muitas séries como Jennifer Love Hewitt está cancelada prematuramente, e enquanto muitos daqueles que se elas não entendo porque temos de olhar para outras opções, mas no mercado de TV e há muitas opções e canais com grandes produções como HBO tendo série para todas as idades e todos os gostos.