12 Monkeys cria sequência inusitada de filme cult
12 MonkeysCrítica

12 Monkeys cria sequência inusitada de filme cult

Por 20 de maio de 2015 agosto 2nd, 2017 Sem Comentários
12 Monkeys cria sequência inusitada de filme cult

 

spoiler

Para quem assistiu a 12 Monkeys, filme cult da década de 1990 estrelado por Bruce Willis e Madeleine Stowe, encontrará poucas semelhanças com o remake proposto pelo canal Syfy. O que, de certa forma, é um alívio.

Assista ao trailer da série

O seriado segue uma abordagem mais obscura e intensa do que sua antecessora e explora com profundidade a relação entre os personagens da história. James Cole ultrapassa o estereótipo do lunático que tenta, com a sua própria vida em jogo, salvar o mundo da liberação de um vírus mortal. Mais irônico e violente, a versão proposta pelo canal, e interpretada por Aaron Stanford (Nikita), é bem mais original e perspicaz. O mesmo pode ser dito para o seu relacionamento amoroso com a doutora Cassandra Railly (Amanda Schull), que recebeu uma atenção especial dos criadores Travis Fickett e Terry Matalas (ambos envolvidos na produção de Terra Nova).

Veja cenas do último episódio da temporada

A dinâmica complicada e envolvente entre os protagonistas é um dos trunfos do remake

A dinâmica complicada e envolvente entre os protagonistas é um dos trunfos do remake

Outras diferenças conceituais da narrativa são apresentadas logo no piloto. O futuro da humanidade é bem mais sombrio na TV, assim como as disputas pelo poder da arma letal. O telespectador pode esperar, assim, por ação, mortes sangrentas, tiroteios, revoluções e diversas repercussões das viagens no tempo de Cole para proteger a humanidade. A liberdade da narrativa caminha, inclusive, para modificar o final da saga. Se no filme, o protagonista acaba morrendo baleado antes de cumprir a sua jornada, na televisão a primeira temporada encerra com uma modificação crucial no destino dos personagens. Cole resgata o seu irmão adotivo, José Ramse, da morte e iminente e manda a sua amada, baleada no confronto, para o futuro, onde receberá os cuidados médicos de companheira de trabalho, a cientista Katarina Jones.

Além da criação de um enredo de ficção científica envolvente, 12 Monkeys segue também uma tendência bem peculiar na televisão mundial: a dos viajantes do tempo. Presentes em seriados antigos, estes personagens ganharam abordagens inusitadas com o passar dos anos. Nas produções mais recentes temos Barry Allen, como o herói The Flash, Claire, a protagonista de Outlander e a policial do futuro Kiera Cameron, de Continuum. O seriado, no entanto, destaca-se ao buscar por uma linha catastrófica entre o passado e o presente. E se suas ações pudessem salvar milhões de pessoas? E, se para tal missão, você tivesse que sacrificar quem mais ama? Neste aspecto, a trama vai além das barreiras da ficção e consegue tocar em um dos grandes dilemas éticos que faz do ser humano quem ele é.

Se 12 Monkeys for capaz de permanecer no caminho proposto, a segunda temporada, já confirmada pelo Syfy, promete trazer conflitos e mistérios ainda mais interessantes. Afinal, a identidade da “testemunha ” ainda permanece oculta e a presença de Railly no ano de 2043 pode prejudicar ainda mais os planos – e a sanidade – de Cole.

Julia Benvenuto

Julia Benvenuto

Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e pós-graduada em Jornalismo Cultural pela FAAP. É autora da tese "A Revolução dos Losers: como o seriado americano Glee representa a juventude do século 21".

Sem Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do POP SÉRIES. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O POP SÉRIES poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.