Crítica: primeira temporada 2 Broke Girls
Crítica

Contando moedas com 2 Broke Girls

Por 15 de janeiro de 2013 abril 26th, 2016 Sem Comentários

Esqueça sofisticação, roupas de grifes e restaurantes badalados. Nova York, desta vez, não será vivenciada em Manhattan. O autor de Sex and the City, Michael Patrick King, atravessou a Ponte do Brookyln e ambientou seu mais novo projeto em Williamsburg, um dos bairro cults da cidade.

Escrito em parceira com a comediante Whitney Cummings, 2 Broke Girls conta a história de duas garçonetes com diferentes personalidades que tornam-se melhores amigas devido às dificuldades financeiras. Max Black (Kat Dennings) é uma garota que sempre teve que lidar com a realidade de ser pobre. Caroline Channing (Beth Behrs), por sua vez, era uma menina rica que perdeu a fortuna por causa das falcatruas do pai. Juntas compartilham o sonho de abrir uma loja de cupcakes.

Cada episódio mostra o esforço das garotas para juntarem dinheiro para o novo negócio. Com muito jogo de cintura, elas encaram ser cobaias de empresas farmacêuticas, faxineiras e animadoras de festas infantis. Além disso, tornam-se viciadas em cupons de descontos, sofrem para pagar os impostos anuais e frequentam restaurantes beneficentes para moradores de rua.

O grande sucesso de 2Broke Girls está nas diferenças dos comportamentos de Max e Caroline. As cenas divertidas mostram a inocência da ex-menina rica que vivia um conto de fadas e que agora precisa compreender o valor de cada centavo. Enquanto Max encara a vida sem nenhum romantismo e com muito humor negro, Caroline tenta, a cada percalço, ver o lado otimista das coisas.

 

Com muita diversão, o casal Oleg e Sophie retratam a vida dos imigrantes nos Estados Unidos

Com muita diversão, o casal Oleg e Sophie retratam a vida dos imigrantes nos Estados Unidos

 

Mais do que isso, o seriado retrata com bom humor a dura realidade do americano que vive para pagar suas contas e que sempre está no limite de seus gastos. Ainda mais em tempos de crise econômica.

Outro diferencial é escolha por personagens imigrantes, que transformaram os EUA em sua segunda casa. Destaque para o romance entre o chef ucraniano Oleg (Jonathan Kite) e a polonesa Sophie (interpretada pela atriz Jennifer Coolidge, que ficou conhecida como a mãe de Stifler no filme American Pie).

Na segunda temporada (em exibição na Warner), Max e Caroline conseguem realizar o sonho de abrir a loja de cupcakes. Entretanto, descobrem que cultivá-lo é muito mais desafiador. O empenho agora será para colocar mais de dois clientes dentro da loja. Alguém duvida da criatividade das garotas para aumentar as vendas?

 

Loading...
Amanda Negrini

Amanda Negrini

Jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e pós-graduada em Jornalismo Cultural pela FAAP. Especialista em cultura pop, é autora da tese "A Evolução das cantoras Pop Americanas: a criação de Madonna e a inovação de Lady Gaga".

Sem Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do POP SÉRIES. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O POP SÉRIES poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.