Crítica: quinta temporada de Castle
Crítica

Castle: conflitos amorosos ditam o tom da quinta temporada

Por 16 de maio de 2013 abril 26th, 2016 Sem Comentários

spoiler

 

Um dos seriados mais vistos do momento, Castle parece ter conseguido encontrar a sua fórmula de sucesso. E o segredo está na resolução do romance da detetive Kate Beckett  (Stana Katic) com o escritor, um tanto vaidoso, Richard Castle (Nathan Fillon).

Castle inicia caça por Pé Grande; veja prévia

Se nos anos passados a narrativa do show policial estava focada nos planos de vingança da protagonista, que buscava pelo assassino de sua mãe, a quinta temporada trouxe um lado mais humano e emocionante à atração. Ver a evolução na relação entre duas personalidades completamente distintas agradou a audiência, que concedeu à Fillon o prêmio de ator favorito no Teen Choice Awards em 2012.

A tensão sexual deu lugar a relação a dois. Ex-namoradas, pretendestes irresistíveis – e como esquecer de Ioan Gruffudd no papel do galante milionário Eric Vaughn – e atentados a bomba definiram o tom da narrativa, que agora coloca o crime como elemento coadjuvante.

Saiba mais sobre os episódios finais de Castle

O criador Andrew W. Marlowe cumpriu a sua promessa e conduziu os personagens a um ponto crucial de suas vidas. Nas últimas cenas, exibidas na segunda passada (13) nos EUA, o dilema estabeleceu-se: Beckett deve escolher entre uma carreira promissora em Washington ou um futuro ao lado do companheiro – e vamos incluir nesta história um anel de noivado. A resposta para o pedido ainda é desconhecida, pelo menos até a estreia da sexta temporada.

 

James Brolin no papel do misterioso pai de Castle

James Brolin, no papel do pai de Castle, um cobiçado agente da inteligência americana

 

A tensão sexual nos romances policiais

É claro que as teorias conspiratórias, um dos diferenciais da série, também estiveram presentes. Tivemos assassinatos ligados à mitologia do pé-grande e também o aparecimento do misterioso pai de Castle, um agente da espionagem americana, vivido pelo ganhador do Oscar James Brolin. O segredo nos fez viajar a outro continente para acompanhar a saga de um pai que tenta recuperar desesperadamente a sua filha. Tudo pareceu encaixar-se no roteiro eletrizante.

Em outros momentos, o drama migrou para comédia. Como esquecer do hobby de Beckett, a paixão pela série de ficção científica Babylon 5 – e é claro que o figurino acabou contribuindo para a atenção do escritor no assunto. Quanto aos interesses do aprendiz de detetive, o episódio especial (número 100, The Life of Others) trouxe uma visão moderna – e inesquecível – ao clássico Janela Indiscreta de Hitchcock. Com a ajuda do trocadilho de palavras, a conclusão: assistir à Castle é um crime que sempre compensa.

• Por Julia Benvenuto

Julia Benvenuto

Julia Benvenuto

Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e pós-graduada em Jornalismo Cultural pela FAAP. É autora da tese "A Revolução dos Losers: como o seriado americano Glee representa a juventude do século 21".

Sem Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do POP SÉRIES. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O POP SÉRIES poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.