A série Girls de Lena Dunham
Crítica

Girls: o realismo da nova geração

Por 27 de março de 2013 dezembro 30th, 2014 Sem Comentários

A série Girls tinha tudo para ser uma imitação mais juvenil de  Sex and The City: quatro amigas, com idade média de 25 anos, que vão morar em Nova York em busca de uma carreira de sucesso e de um grande amor. Além disso, a protagonista, assim como Carrie Bradshaw, sonha em ser uma escritora famosa. Entretanto, a grande aposta da HBO mostrou-se mais do que um seriado. Graças a sua criadora Lena Dunham, os episódios tornaram-se um retrato dos recentes adultos da pós-recessão americana e da nova geração que busca independência e rebeldia, mas que não dispensa conforto e ajuda financeira dos pais.

Em Girls, Lena Dunham combate estética da mulher perfeita

Não há roupas glamorosas, residências luxuosas de Manhattan e ostentação. Dunham, que também interpreta a protagonista Hannah Horvath, tem como premissa retratar a realidade com humor sutil e irônico. “As pessoas assistem Sex and The City e pensam: ‘Eu gostaria muito de ser Carrie Bradshaw!’ e depois elas vêem a Hannah e pensam: ‘Meus Deus, eu costumava ser como ela, ou ‘Eu sou ela’”.

Pais de Lena Dunham colaboram para o roteiro de Girls

Um dos assuntos mais polêmicos que envolve Girls é a quebra da estética em relação a beleza imposta para as mulheres na sociedade contemporânea. Dunham, que possui alguns quilinhos a mais, aparece nua e interpreta cenas de sexo, que chegam a ser comentadas mais pelo realismo, do que por uma possível aversão. Neste ponto, a criadora de Girls inova na intenção de mostrar visualmente, em um canal de TV renomado, que todos podem desfrutar do prazer independente de sua forma física.

Girls

Marnie (Allison Williams), Hannah (Lena Dunham, Jessa (Jemina Kirke) e Shoshana (Zosia Manet)

 

Hannah é fiel ao telespectador ao revelar suas inseguranças, sua péssima autoestima e seus terríveis medos de se tornar uma mulher fracassada e solitária. As suas companheiras também mantêm a mesma sintonia: Marnie (Allison Williams) oscila entre frustração e carência em relação aos amigos e ao ex-namorado; Jessa (Jemina Kirke), com espírito de mulher livre e independente, precisa lidar com as consequências de um casamento impulsivo; e Shoshanna (Zosia Manet) retrata uma virgem tardia que começa a entender melhor o universo masculino.

Lena Dunham apresenta piloto de nova série para HBO

Dunham, com sua repentina fama de celebridade, é considerada a voz de sua geração. Suas opiniões e frases publicadas no Twitter passaram a ser divulgadas e reproduzidas por todos os fãs da série. Ela compartilha o estilo de vida “famoso” que sua personagem Hannah quer, mas é muito preguiçosa para batalhar. No meio deste turbilhão, é significativo perceber a intensa e franca ligação que a atriz estabeleceu com seu público. Afinal de contas, é difícil representar uma geração pós-crise econômica quando se obtém tanto sucesso.

Andrew Rannells retorna ao elenco de Girls

 

Loading...
Amanda Negrini

Amanda Negrini

Jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e pós-graduada em Jornalismo Cultural pela FAAP. Especialista em cultura pop, é autora da tese "A Evolução das cantoras Pop Americanas: a criação de Madonna e a inovação de Lady Gaga".

Sem Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do POP SÉRIES. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O POP SÉRIES poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.