Crítica: primeira temporada de Scream Queens
CríticaScream Queens

Scream Queens: comédia investe em humor ácido e jovens talentos

Por 19 de janeiro de 2016 dezembro 15th, 2016 Sem Comentários
Scream Queens promete retorno de Nick Jonas e Ariana Grande à trama

 

spoilerEste não é o melhor trabalho Ryan Murphy. E nem o pior. Scream Queens consegue cumprir a premissa que lhe foi imposta pelos seus criadores: a de apresentar uma comédia com um tom sátiro aos vícios e aspirações da juventude do século 21. Isso, é claro, sem deixar de lado uma boa sequência de assassinatos.

A mistura dá certo, mas não exige muitas reflexões de seus telespectadores. O enredo brinca com características peculiares à outras séries produzidas por Murphy, entre elas, American Horror Story:Coven e Glee. Na história, uma fraternidade, Kappa Kappa Tau, é perseguida por um serial killer que clama por vingança de uma morte que aconteceu há 20 anos. A sua identidade é mantida em segredo até o último episódio da trama, enquanto a líder, a maldosa Chanel Oberlin (Emma Roberts), tenta conservar a reputação grupo na universidade e a sua posição social.

PUBLICIDADE

Elenco de Scream Queens participa da Comic-Con

O elenco contou com a participação Skyler Samuels, Lea Michele, Diego Boneta, Abigail Breslin, Nick Jonas, entre outros proeminentes atores. No entanto, não houve espaço para que cada um deles brilhasse na trama. Conhecida pelo filme Pequena Miss Sunshine, Abigail ficou restrita a um papel secundário, Chanel #5, assim como Lea (Hester Ulrich). As suas atuações receberam destaque em episódios específicos e até a descoberta de quem seria o demônio da máscara vermelha, a estrela de Glee teve poucas oportunidades de explorar o seu talento.

scream queens crítica

Série não conseguiu absorver o talento de todo o seu elenco

As cenas ácidas de humor foram protagonizadas por Emma – os xingamentos de Chanel ganharam inúmeras “memes” na internet – e por Jamie Lee Curtis, cuja personagem, Cathy Munsch, lhe rendeu uma indicação ao Globo de Ouro 2016. Lee soube interpretar com destreza a reitora que, até o último momento, era considerada uma das principais suspeitas de ter cometido os crimes no campus.

Confira promos da primeira temporada do seriado

Skyler (Grace), que deveria ser a líder na procura pelo sangrento assassino, teve a sua trajetória ofuscada pelos acontecimentos. A caloura buscava pela verdade sobre a sua mãe e temia que fosse a filha de uma das integrantes da fraternidade, morta há duas décadas. Na missão, não percebeu que o seu namorado, Pete, estava ajudando os verdadeiros culpados – aliança que resultou em sua morte.

A Fox anunciou recentemente a renovação de Scream Queens para a sua segunda temporada. Assim como American Horror Story, o enredo será modificado a cada ano, mantendo o mesmo elenco. A proposta agora é apresentar uma série de misteriosas mortes que acontecem dentro de um hospital. A temática ainda terá a visão adolescente que renda à fama ao seriado.

A esperança é que, com atores tão talentosos, a produção conseguia criar melhor desenvoltura para cada um deles. Se Lea e Nick não brilharam como os vilões, não seria interessante colocá-los em algo inesperado? De qualquer forma, a atração continua se apresentado como uma crítica competente a geração Y.

Julia Benvenuto

Julia Benvenuto

Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e pós-graduada em Jornalismo Cultural pela FAAP. É autora da tese "A Revolução dos Losers: como o seriado americano Glee representa a juventude do século 21".

Sem Comentários

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Pop Séries. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Pop Séries poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.