Skip to main content

Série está disponível no catálogo da Netflix

O elenco de Star Trek: Discovery, juntamente com os produtores Alex Kurtzman e Heather Kadin reuniram nesta quinta-feira (23) para um painel especial da franquia.

Participaram Sonequa Martin-Green (comandante Michael Burnham), Michelle Yeoh (Philippa Georgiou), Doug Jones (comandante Saru), Anthony Rapp (tenente comandante Paul Stamets), Mary Wiseman (alferes Sylvia Tilly), Wilson Cruz (Dr. Hugh Culber), Mary Chieffo (L’Rell), Tig Notaro (comandante Jett Reno), Alan Van Sprang (capitão Leland) e Jayne Brook (almirante Katrina Cornwall).

O grupo fez uma leitura virtual da primeira parte do último capítulo da segunda temporada de Stark: Trek Discovery durante o encontro. Foram anunciadas também algumas novidades.

A série Strange New Worlds – com Anson Mount (Capitão Christopher Pike), Rebecca Romijn (Número Um) e Ethan Peck (Spock) – já está em produção pela CBS. “Temos 10 histórias em desenvolvimento e é algo que todos estamos animados para ver”, comentou Alex. Heather anunciou que a franquia vai ganhar uma nova animação, intitulada Star Trek: Prodigy, para o canal Nickelodeon.

 

 

Sobre a terceira temporada de Discovery, o elenco revelou que a motivação original da história vai continuar. “Star Trek é uma obra de ficção, mas sempre imaginou um mundo onde as pessoas são valorizadas pelo que são e não por sua cor, gênero ou idade. E, neste momento, é mais importante do que nunca”, comentou Anthony Rapp.

Para Sonequa, a série mostra um futuro possível para a humanidade. “O trabalho ainda não terminou. É sobre nós nos confrontarmos e aos outros, e vemos isso no legado desta franquia. Espero que nós possamos contribuir para o movimento [da mudança] neste sentido.”

Além disso, a protagonista disse que o show entra em uma nova fase “Nós da tripulação da Discovery decidimos sacrificar tudo que tínhamos pelo futuro. Então, há a esperança que o plano funcione. Até logicamente, que seja possível pousar no lugar certo, destruir o Controle e salvar o mundo.”

O mesmo sentimento carrega o personagem de Doug Jones. “Saru teve que abandonar a sua casa sem a chance de poder retornar a ela um dia. Foi a decisão mais difícil que teve que tomar. E quando voltamos Kamanar ele descobre essa nova informação, que o seu povo está aprisionado por Bau’l, e mentindo para nós sobre a nossa evolução. (…) E depois de liberar o seu povo, agora eles podem viver em paz, e absorver a sua cultura e tecnologia. E ele tomou a decisão de seguir Burnham ao futuro, abandonando o seu povo mais uma vez.”

Star Trek: Strange New Worlds

 

 

O painel também revelou um pouco mais do que esperar sobre o enredo da nova série.

“A interação do Spock com Michael Burnham é essencial para transformar o Spock, que nasceu como um meio-humano. Michael dá lhe permissão de ser humano e ensina o que é ser humano. E isso é fundamental para o seu dilema entre emoção e a lógica … Quando vemos Leonard Nimoy na série original, é uma grande inspiração para mim”, disse Ethan Peck.

Anson Mount resumiu o sentimento que enfrenta o capitão Christopher Pike: “Quando você vê o seu futuro, o que vai se tornar, e não é tão bonito, o que você faz? Como você lida com isso? Ele vai lutar para saber o que fazer com o resto da sua vida para o melhor do mundo e do universo”. Rebecca Romijn completou: “E acho que muito disso é se submeter ao desconhecido, juntos, trabalhando como um time.”

No Brasil, Star Trek: Discovery é exibida pela Netflix.

Organize sua maratona com o nosso Planner!

Inscreva-se
Notificação de
guest

0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários