True Blood: sexta temporada resgata empatia do público
Crítica

True Blood: sexta temporada resgata empatia do público

Por 23 de agosto de 2013 abril 26th, 2016 Sem Comentários
True Blood: sexta temporada resgata empatia do público 1

spoiler

True Blood vinha caminhando de mal a pior. Com a temporada passada focada em conflitos religiosos e organizações secretas, os novos episódios do sexto ano da atração tinham um objetivo: resgatar a empatia do público que já não estava satisfeito com o rumo da narrativa.

Doze livros que viraram séries de sucesso

A difícil missão teria que ser feita sem a presença do criador orginal, Alan Ball, que pediu o afastamento da série. Assim, a solução encontrada pelos produtores foi acabar de vez com as teorias conspiratórias e personagens desnecessários, entre eles, Terry Bellefleur e Warlow (Rob Kazinsky). O vampiro-fada, aliás, foi uma das surpresas. Se a intenção era criar um vilão com profundidade, que ora variava entre a maldade, ora entre a compaixão, a estratégia não poderia ser melhor. Até o último capítulo, o telespectador não sabia qual era a real faceta do novo namorado de Sookie (Anna Paquin) – que, por fim, só queria transformá-la em sua noiva.

Ganhe um livro de receitas de True Blood

Adeus a um dos membros originais; Terry Bellefleur é morto na sexta temporada

O adeus a um dos membros originais; Terry Bellefleur é morto na sexta temporada

O campo de concentração vampiresco, embora bizarro, foi outro trunfo deste ano. Principalmente, pelo retorno da fanática religiosa Sarah Newlin e da escalação de novos sugadores de sangue – que devem continuar no elenco principal na próxima temporada. O vírus da hepatite V conseguiu também trazer a história de volta à cidade de Bon Temps. A ideia é recriar as raízes do show, o motivo de seu sucesso inicial. Agora os habitantes da pequena cidade da Lousiana, sobrenaturais e humanos, terão que se unir para enfrentar a ameaça eminente.

Comic-Con: True Blood em busca de raízes

No mais, Sookie parece ter encontrado a felicidade ao lado do lobisomem Alcide. Mas, se tratando da fada, todos os seus romances são tragicamente provisórios e o público não deve esperar por muito tempo pelo retorno do triângulo amoroso original. E Bill (Stephen Moyer), agora livre do espírito de Lilith,  já deu o primeiro passo para isso.

Quanto ao destino de Eric, uma boa notícia: o vampiro centenário não morrerá incendiado pela luz do sol. O ator continua no elenco fixo do seriado. Matar o anti-herói, com certeza, não seria a decisão mais sábia a se tomar neste momento.

Julia Benvenuto

Julia Benvenuto

Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e pós-graduada em Jornalismo Cultural pela FAAP. É autora da tese "A Revolução dos Losers: como o seriado americano Glee representa a juventude do século 21".

Sem Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do POP SÉRIES. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O POP SÉRIES poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.