Skip to main content

Obra é um dos clássicos escritos por Jane Austen

Da escritora britânica Jane Austen, Orgulho e Preconceito mostra a burguesia inglesa na aurora do século 19. É um de seus livros mais aclamados que ganhou diversas adaptações para TV e o cinema.

Inicialmente, a obra recebeu o nome de Primeiras Impressões, mas o título foi mudado pela própria autora antes de sua primeira publicação.

Acompanhe, a seguir, o resumo desse clássico da literatura mundial.

Orgulho Preconceito livro

Somos apresentados a família Bennet que é composta por cinco irmãs – Jane, Elizabeth, Lydia e Kitt – e seus pais que vivem na Inglaterra rural.

O protagonismo é de Elizabeth Bennet, a segunda filha mais velha, dotada de uma beleza ímpar, muito inteligente, culta e com um temperamento tempestuoso – ela é o próprio orgulho.

Para Elisabeth as convenções sociais são enfadonhas e cansativas, ela tem um espírito livre e uma mente muito inquieta. É interessante ressaltar que essa personagem tem ideais muito além de seu tempo e do que era permitido para as mulheres da época.

Até mesmo sua mãe já havia desistido da ideia de casamento para a jovem, pois seu caráter impetuoso não era bem visto pela sociedade. Nesse período, as mulheres eram desprovidas de direitos civis básicos, restando apenas os cuidados com o marido e os filhos que lhes eram uma “obrigação social.”

Os casamentos por amor eram raros, sendo que a maioria eram acordos comerciais entre famílias, tornando a mulher uma moeda de troca. Elizabeth se negava a casar se não fosse por amor.

Lizzie, como a jovem era chamada pelas irmãs, não se enquadrava nesses ideais e ansiava por mais, por algo que desse sentido a sua vida.

A chegada de Mr. Bingley e Mr. Darcy, dois homens solteiros e muito ricos, muda a história. A Sra. Bennet vê nesses jovens a oportunidade de retirar a sua família do caos financeiro em que viviam. E seu plano para aproximá-los funciona.

Mr. Bingley, um homem de muito caráter se apaixona por Jane Bennet, a irmã mais velha da família. Porém Caroline Bingley, irmã do jovem, é totalmente contra a relação devido ao fato de serem de classes sociais muito diferentes.

Mr. Darcy se apaixona por Elisabeth, mas não revela seus sentimentos porque a garota é pobre. Inicialmente, a relação entre os dois é tóxica, cheia de preconceito, raiva, orgulho e apego as regras sociais. Porém, quanto mais Mr. Darcy conhece Elisabeth mais apaixonado ele fica. Até que toma coragem e pede a jovem em casamento.

Leia mais:   Bridgerton: a série da Netflix é inspirada em quais livros?

De início ela recusa, pois o enxerga como um homem opressor e egocêntrico. Mas ao receber uma carta escrita por Mr. Darcy, onde ele explica o porquê de suas atitudes, ela passa a vê-lo de outra maneira. Ao mesmo tempo, Mr. Bingley acaba abandonando Jane, deixando-a perplexa e sem entender o que havia acontecido.

Mas ambas as histórias terminam bem – Elisabeth e Mr. Darcy se casam, Mr. Bingley retorna e explica sua decisão fazendo com que Jane o perdoe.

De uma maneira inteligente Jane Austen questiona o papel da mulher na sociedade, o preconceito e a busca por um sonho. Foram esses temas atemporais que fizeram obra uma das maiores de todos os tempo.

Personagens de Orgulho e Preconceito

Confira os personagens dessa obra inspiradora e seu papel na trama.

– Sr. e Sra. Bennet

Com cinco filhas mulheres e uma situação econômica muito complicada, eles enxergam o casamento das filhas como uma forma de salvação para a família.

Mas há uma diferença entre os dois: o pai, mesmo preocupado com o futuro de sua casa, não tem a mesma obsessão que a mãe das meninas, ele tem um caráter sonhador e curioso. A mãe, por sua vez, é obcecada em arrumar um bom partido para as filhas e faz dessa a sua missão de vida.

Elizabeth Bennet

Chamada de Lizzie pelos íntimos, a protagonista dessa história é uma mulher culta, inteligente, apaixonada por literatura e muito bonita.

Ela tem uma personalidade impetuosa, suas opiniões são fortes e é muito segura de si. Lizzie vai na contramão de uma sociedade machista e opressora. Além disso, é totalmente diferente da maioria das mulheres de sua época e isso impressionou Mr. Darcy.

Mr. Darcy

Com uma personalidade fria, misteriosa e envolta em tons de preconceito, sua prepotência é desfeita em pedaços conforme vai conhecendo Elizabeth. Todos os dogmas antes muito bem instaurados em sua mente são despedaçados por essa paixão avassaladora.

Jane Bennet

É a mais velha das cinco irmãs, muito sonhadora e gentil tinha em Lizzie sua melhor amiga e confidente. De uma beleza ímpar ela era o símbolo do que a sociedade esperava de uma jovem da época: recatada e serena.

Mr. Bingley

Um rapaz de boa reputação, rico e educado. Porém, é fraco e influenciável o que o leva a abandonar Jane no início. É extremamente dominado por sua irmã, Caroline, e acaba cedendo a ela na maioria das vezes.

Leia mais:   Senhor dos Anéis: Sauron dá início ao seu império na 2ª temporada

Caroline Bingley

Muito preconceituosa e apegada às regras sociais ela se torna uma opositora feroz ao relacionamento do seu irmão com Jane.

Mary

De todas as Bennet ela é a mais apaixonado por literatura, considerada muito inteligente e sagaz. Mary é muito curiosa, herança do pai e sua busca por conhecimento é insaciável.

Lydia

É uma das caçulas do clã e a mais bem humorada. Está sempre metida em confusões com sua irmã Kitty.

Kitty

A outra caçula da família tem em Lydia sua melhor amiga. Juntas elas partilham segredos e brincadeiras.

Jane Austen

A escritora nasceu em Steventon, na Inglaterra, em 1775. Formou-se em casa e escreveu sua primeira obra aos 12 anos.

Seus livros eram publicados de forma anônima, pois além de ser mulher suas obras continham muitas críticas à burguesia inglesa. Seu estilo literário é definido entre o romantismo e o realismo, com as descrições impecáveis de lugares e sensações.

Jane foi cortejada por um jovem rico, porém ele escolheu outra moça que julgava mais adequada para se casar. A autora usa muito de suas experiências em seus livros.

Em 1811, ela escreve outro clássico literário Razão e Sensibilidade, mas sem revelar seu verdadeiro nome. Dois anos depois, Orgulho e Preconceito é publicado.

Seu estado de saúde foi se deteriorando e Jane faleceu em 18 de julho de 1871, com apenas 41 anos.

Suas obras são: Amor e Amizade (1790), Lady Susan (1794), Razão e Sensibilidade (1811), Orgulho e Preconceito (1813), Mansfield Park (1814), Emma (1875), A Abadia de Northanger (1818) e Persuasão (1818). O seu último romance, Sanditon, não terminado antes de sua morte.

Orgulho e Preconceito filmes e séries

Orgulho e Preconceito (1940): dirigido por Robert Z. Leonard foi a primeira adaptação ao cinema. O elenco contou com Greer Garson no papel de Elizabeth, Laurence Olivier como Mr. Darcy, Maureen O’Sullivan como Jane e Bruce Laster como Mr. Bingley;

Minissérie Orgulho e Preconceito (1995): com seis episódios a minissérie não destoa do contexto dos livros e é a versão que mais agrada os fãs. O elenco tem Jennifer Ehle como Elizabeth, Colin Firth é Mr. Darcy, Susannah Harker interpreta Jane e Crispin Bonham-Carter é Mr. Bingley.

O Diário de Bridget Jones (2001): essa é uma adaptação mais distante de Orgulho e Preconceito, no entanto nela é possível observar os traços mais marcantes da obra de Jane Austen e o questionamento do papel da mulher e do que a sociedade idealiza como ideal.

Leia mais:   The Boys: o que esperar da 4ª temporada

Noiva e Preconceito (2004): é a versão indiana do romance. Aqui Elizabeth é Lalita Bakshi e a história é ambientada em Amritsar, na Índia. A jovem conhece o empresário americano Will Darcy que é muito preconceituoso e prepotente e segue a linha do enredo tradicional, porém com muita inserção da rica cultura indiana.

Orgulho em Preconceito (2005): com certeza a adaptação mais conhecida e aclamada pelo público. Sem se distanciar da história original, vemos Keira Knightley interpretar de maneira genial Elizabeth. Matthew Macfadyen, Rosamund Pike, Talulah Rilei, Simon Woods e um elenco espetacular captam com maestria o tom dessa obra magnífica.

Lost in Austen (2008): a minissérie narra a história de Amanda (Jemima Rooper), uma jovem apaixonada por Orgulho e Preconceito que tem a oportunidade de trocar de lugar com Elizabeth. Uma série divertida que faz uma homenagem leve envolvente ao clássico literário.

The Lizzie Bennet Diaries (2012): a adaptação mostra como seria a vida de Elizabeth se ela pertencesse aos dias atuais. A série foi feita para o Youtube e ganhou um Emmy como melhor programa interativo em 2013. No elenco, Ashley Clements, Daniel Vincent, Laura Spencer entre outros nomes.

Austenlândia (2013): na produção somos apresentados a jovem Jane (Keri Russel) que é apaixonada pela obra e paga uma grande quantia em dinheiro para ir até um resort ambientado no período da história. O local proporciona uma espécie de jogo comportamental e a garota acaba em diversas situações complicadas.

Death Comes to Pemberley (2013): a série fantástica faz uma continuação ao livro só que em um tom misterioso e denso. Após Elisabeth e Mr. Darcy se mudarem para Pemberley, ocorre um terrível assassinato colocando todos como suspeitos. O casal vai em busca de provas para pegar o culpado. Participam do elenco Anna Maxwell, Matthew Rhys, Trevor Eve, entre outros.

Orgulho e Preconceito e Zumbis (2016): o longa-metragem mostra a história das cinco irmãs no século 19, que além das preocupações amorosas têm que lidar com uma ameaça zumbi. Com um tom cômico e fantasioso essa é uma roupagem totalmente diferente das demais. O elenco conta com nomes como Lily James, Sam Riley, Matt Smith, Bella Heathcote e Douglas Booth.

Organize sua maratona com o nosso Planner!